05/06/2017

Amido Resistente x Flora Intestinal





Oi Gurias e Guris 💙💙💙

Falar sobre saúde é sempre bom,não acham?! Então hoje o assunto vai ser sobre a saúde da Flora Intestinal...como está a sua?
Pois bem,não vou me estender muito aqui no texto porque trovei bastante no vídeo 😝😝😝 ...

Vou dar ênfase a alguns tópicos do texto:

  • PREBIÓTICOS: o amido resistente "NÃO" é um "carboidrato" propriamente dito,pois não é convertido em glicose no sangue.Vai direto para o intestino delgado.

  • PROBIÓTICOS:  são os que contém os lactobacilos vivos no iogurte natural,por exemplo.

  • AMIDO RESISTENTE: é um amido que resiste a digestão,onde é facilmente digerido pelas bactérias do cólon...Embora não tenhamos enzimas capazes de digerirmos o amido resistente,as bactérias colônicas tem,servindo de "ração" para a flora intestinal.O AR alimenta de preferência as bactérias boas,responsáveis pela produção do Butirato,uma vez que a flora residente produz o Butirato,variando de acordo com cada indivíduo.

  • AUMENTA A SENSIBILIDADE INSULÍNICA mesmo em pessoas com síndrome metabólica (pessoas com fatores de risco,relacionado com o desenvolvimento com doenças cardíacas,acidentes vasculares,diabetes tipo II,doenças renais como pedras nos rins,fígado gorduroso,apneia de sono,ovários policísticos,edema periférico inchaço nas pernas e nos braços),ou seja,comer certos carboidratos não eleva drasticamente à insulina.

  • MELHORA A INTEGRIDADE E FUNCIONAMENTO DO INTESTINO: basicamente promove a hipertrofia do cólon tornando-o mais robusto e melhorando sua funcionalidade.Também inibe endotoxinas (são toxinas encontradas na parede celular bacteriana que são liberadas quando a célula desintegra-se,causam febre e são moderadamente tóxicas) de chegarem à circulação e reduz a permeabilidade intestinal,tendo resposta positiva as alergias e condições de auto imune.

  •  REDUZ A RESPOSTA GLICÊMICA AO ALIMENTO: diminui o pico de glicose em redução,podendo se estender para as próximas refeições.Reduz o pico de insulina após as refeições!

  • REDUZ A GLICEMIA DE JEJUM: reduzindo queda de cabelo e dificuldades para dormir,além da perda de peso melhorando a composição corporal,gordura abdominal reduzida e massa magra aumentada,aumentando a saciedade e absorção de magnésio também.

  • PODE LIGAR-SE PREFERENCIALMENTE AS BACTÉRIAS "RUIM" e intestinais e despejá-las essas bactérias patogênicas através das fezes,ótimo tratamento para cólera,uma vez que as bactérias ruins se ligam aos grânulos de amido resistente quase que de imediato para a expulsão.

  • MELHORA O FUNCIONAMENTO DA TIREOIDE: aumento na temperatura corporal,um indicador grosseiro de funcionamento da tireoide.

  • MELHORA O SONO: já que há um aumento da GABA (ácido gama-aminobutírico) decorrente do butirato aumentado.Outra possibilidade é que o AR está alimentando bactérias intestinais produtoras de serotonina sendo convertida em melatonina quando à noite chega,reduzindo a ansiedade e estresse. 
LADO RUIM!
Gases,inchaço,cólicas,diarreia ou constipação,dores de cabeça e até mesmo azia.Mas ameniza em cerca de 14 dias!


LOW CARB x  FLORA INTESTINAL

Texto Dr. Souto

Low Carb é eficaz na reversão da síndrome metabólica,mas a flora intestinal sofre pois o equilíbrio bacteriano é essencial para a manutenção de uma flora não inflamatória,ao contrário disso,há um aumento da permeabilidade intestinal tornando inflamatória o vazamento dessas endotoxinas e a gordura boa como alimento,nesse caso facilita esse processo inflamatório no organismo e o resultado é a resistência insulínica,fígado gorduroso e resistência à leptina (regulador de apetite) ...a mesma gordura não traz malefícios na dieta de algumas pessoas,mas de outras,pode piorar a situação devido o estado da flora intestinal e junto com isso a constipação severa.

  1. AR passa intacto pelo intestino delgado até chegar ao cólon;
  2. No cólon,é fermentado pela comunidade bacteriana,produzindo ácidos graxos de cadeia curta (AGCC -butirato,propionato e acetato),sendo o butirato mais importante;
  3. A quantidade de butirato produzida é bem maior com AR do que com qualquer outro tipo de fibra;
  4. 4 Os AGCC nutrem as células intestinais - enterócitos - aumentando a saúde destas células e reduzindo o risco de câncer.










Assista ao vídeo : )











0

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pelo seu comentário!